Fotografia de família e auto-estima infantil

26 de março de 2015

ARTIGO RETIRADO DO SITE DESIGN GLOW

Hoje traduzimos para vocês um artigo super bacana publicado no site Design Aglow sobre a importância do uso de fotos de família na decoração. Vai muito além de uma questão estética

“Um dos aspectos ocultos, mas poderosos, da fotografia de família que a maioria das mães e fotógrafos raramente consideram é como ela pode nos ajudar a criar os filhos com mais confiança e auto-estima. Psicólogos e especialistas vêm se debruçando sobre o tema nas últimas décadas, e explorando o link em alguns estudos.

Uma pesquisa reveladora foi realizada em 1975 pela Universidade de Tulane com um grupo de alunos da quarta série de uma escola Tennessee. Durante um período de cinco semanas, as crianças tiraram fotos Polaroid instantâneas de si mesmas em uma variedade de poses e composições que expressavam várias emoções. As crianças trabalharam com as imagens impressas e scrapbooks. Ao final das cinco semanas, testes revelaram um aumento significativo de 37 por cento, em média, dos comportamentos de auto-estima dos alunos. Este estudo mostra evidências de que a fotografia pessoal das crianças, vista e apreciada de uma maneira específica, pode ajudar a aumentar a confiança infantil.

Mas como pode a fotografia de família, especificamente retratos de família, ajudar a aumentar a auto-estima de uma criança?

David Krauss, um psicólogo de Cleveland, Ohio diz: “Eu acho que é realmente importante mostrar uma família como uma unidade familiar. E é útil para a criança se ver como parte valiosa e importante dessa unidade familiar. O trabalho do artista fotográfico é criar e transformar a imagem em um espaço de exploração seguro para as crianças, onde elas são protegidas. ”

Krauss é um dos pioneiros no uso da fotografia de família e de álbuns pessoais para ajudar no aconselhamento de saúde mental e em terapia. Ele foi co-autor de “Terapia de fotografias e Saúde Mental”, em 1983,  considerado um texto fundador nessa área de estudo.

“Ela permite que as crianças aprendam quem são e onde se encaixam”, diz Judy Weiser, psicóloga, terapeuta de arte e escritora com sede em Vancouver. “Elas aprendem a sua genealogia e a singularidade de sua própria família e história. Quando uma criança se vê incluída em um retrato, pensa: essas pessoas me têm como parte do que elas são, é por isso que eu pertenço a aqui. Este é o lugar onde eu venho. ”

Weiser gastou mais de 20 anos usando todos os tipos de fotografia pessoal para auxiliar no processo de tratamento de seus clientes. Ela é considerada por muitos como a maior autoridade sobre estas técnicas de tratamento, chamada de fototerapia.

Quando se trata de ter um grande positivo para o seu filho, o que é melhor, imagens digitais ou impressões em papel fotográfico?

Obviamente, as famílias cada vez mais aproveitam as imagens em formato digital, seja num aparelho celular, laptop, ou simplesmente mídia social. Mas será que uma imagem em um tablet, tela de computador ou site tem o mesmo impacto para ajudar famílias a aumentar a auto-estima de uma criança?

“O meu conceito é muito simples. Eu acho que elas (as fotografias de família) devem estar na parede “, diz Krauss.

“Eu sou muito conservador sobre a auto-estima e acho que colocar uma foto de família em algum lugar na casa onde a criança pode vê-la todos os dias sem ter de ligar um dispositivo ou clicar para encontrar, transmite tranquilidade e conforto. Ela tem uma certeza sobre a família e sobre a qualidade de proteção que a cerca. A imagem permite que a criança saiba onde está na hierarquia e que é amada e cuidada “, diz Krauss.

A importância das fotografias impressas exibidas no seu espaço de vida foi repetida por outros especialistas.

“Minha tendência pessoal e clínica é que há algo muito poderoso em tocar os dedos sobre uma impressão real”, diz Craig Steinberg, um psicólogo que trabalha com crianças de cinco a 13 anos perto de Eugene, Oregon. “Tocar a fotografia onde está um rosto sorrindo é a mesma coisa que tocar um livro quando você lê. Há um monte de estimulação do cérebro diante dessa experiência sensorial. Isso é um pouco perdido na transição para digital. Você está tocando em um teclado, mouse ou tela, mas você não está tocando a imagem. ”

“Colocar fotos pela casa de forma destacada envia a mensagem de que a nossa família e nossos entes são importantes uns para os outros, e de que honramos nossas memórias,” diz  Cathy Lander-Goldberg, assistente-social clínica e fotógrafa diretora da Foto Explorations.

Além disso, recomenda Krauss, ter fotografias da criança com sua família no quarto para que ela veja ao dormir e ao acordar é como mandar a ela uma mensagem importante: elas dizem que te amo e me importo com você. Você é importante. ”

 

Agora lembrando, além dos ensaios, eu ofereço impressões, quadros e álbuns para nossos clientes com o intuito de ter um serviço completo e de incentivar o bom uso da fotografia de família. Para mais informações, entrem em contato comigo! E aqui vão mais alguns exemplos e simulações de como dispor as imagens nas paredes!